Almeida Leme

Almeida Leme

ALMEIDA LEME   TRONCO GERAL   I –  Segundo Aristides Monteiro de Carvalho e Silva, Joaquim de Almeida Leme e Antônia Maria de Quadros foram pais de: 1 – Ana Maria de Quadros (que Silva Leme confunde com Ana Joaquina de Almeida, sua irmã, omitida na lista de Silva Leme, e que foi a segunda mulher de seu marido Paulo José de Camargo), casada com Paulo José de Camargo, natural de Mogi-Mirim, filho de Floriano Pires de Camargo e de Gertrudes Antônia. Não se descobriu descendência de Ana Maria de Quadros. 2 – Antônio Joaquim de Almeida, que foi fazendeiro em Limeira e se casou duas vezes, a primeira com Ana da Silveira Leite (ou Ana Domicilia da Silveira), falecida em 1868; a segunda vez casou com F. de Barros. Teve geração das duas esposas, mas Aristides Monteiro só conseguiu … Continue...
Alves da Cruz

Alves da Cruz

ALVES DA CRUZ   TRONCO   Quintiliano Alves da Cruz e Teodora Maria Barbosa, casal que residia em Amparo na metade do século XIX, teve: 1 – João, batizado em 1850, sendo padrinhos Joaquim de Godoy Oliveira e Escolástica Luísa da Conceição. (BA-5:31v) 2 – Maria, batizada no Amparo em 1852, sendo padrinhos Cândido de Godoy Bueno e Maria de Sousa (BA-5:85v), faleceu em 1854 (ADF, 12v)
Amaral

Amaral

AMARAL   TRONCO I   I – Este tronco descende do casal Manuel de Oliveira Preto e Maria Jacinta do Amaral, provavelmente bragantinos, que foram pais de: 1 – Escolástica Maria, casada no Amparo em 1836 com Antônio Pinto da Cunha, filho de Rafael Pinto da Cunha e de Rosa Maria Ribeiro; 2 – Joaquim de Oliveira Preto, natural de Bragança, casado em Amparo em 1843 com Maria Joaquina da Conceição, filha de João Pires Cardoso e Maria Joaquina de Jesus; 3 – Joaquina, batizada em 1830 no Amparo; 4 – Francisco, batizado em 1833 no Amparo.   TRONCO II   II –      João Mariano do Amaral e sua mulher Joaquina da Silveira Franco, casal de Campinas, foram pais de: 1 – Francisco Emílio do Amaral, campineiro, casado no Amparo em 1851 com Maria Benedita de Camargo, campineira, filha … Continue...
Azevedo Marques

Azevedo Marques

AZEVEDO MARQUES   I – Laurindo de Azevedo Marques, escrivão de coletoria, publicou no Amparo em 1889 um jornal literário, “O Jardim”, do qual só saíram dois números. Em 1901 publicou “Cidade do Amparo”, “folha republicana”, tri-semanal.  (Áureo de Almeida Camargo, in Rev. de História, 74:488, 503)   Laurindo de Azevedo Marques e sua mulher Rita de Sousa Marques hipotecaram uma casa em 1893 ao Banco Industrial Amparense (1ºof. 115:36)
Almeida Lima

Almeida Lima

ALMEIDA LIMA   TRONCO I   I – José de Almeida Lima e sua mulher Gertrudes Maria já moravam no Amparo em 1831, quando foram padrinhos de um batizado.  José e Gertrudes tiveram: 1 – João, batizado em 1840. 2 – Atanásia Maria da Silva,  filha de José de Almeida Lima e Gertrudes Maria da Conceição,  casou em 1869 no Amparo com João Bueno de Oliveira, viúvo de Maria de Santana, sepultada em Amparo.  (CA-5:144v) 3 – Francisca de Almeida Lima casou no Amparo em 1871 com Pedro Moreira, filho de Maria de Jesus Moreira. (CA-6:35) 4 – Justina, batizada em 1843, sendo padrinhos Manuel Bueno de Oliveira e sua mulher Branca Maria (BA-4:26) 5 – José, batizado em 1852, sendo padrinhos Jacinto Alves do Amaral e Justina de Cerqueira César (BA-5:81v)
Alves da Cunha

Alves da Cunha

ALVES DA CUNHA   TRONCO      I – Joaquim Alves da Cunha, (é o mesmo que Silva Leme, Genealogia, 1:348, chama de Joaquim José da Cunha, filho de Inácio Alvares do Amaral e de Maria Franco da Cunha, casado em 1808 em Atibaia) casou com Gertrudes Maria Cardoso (esta Gertrudes Maria, depois de viúva, casou-se com Francisco Xavier dos Passos), filha de João Domingues do Amaral e de Maria Cardoso. Gertrudes Maria Cardoso fez dois testamentos em 1856, um corrigindo enganos do anterior, no qual confirma a filiação do marido e a sua própria (1ºof.5:36 e 39v). Joaquim e Gertrudes foram pais de: 1 – Francisca Maria de Jesus, casada em 1834 com Estevão Xavier dos Passos, natural de Bragança, filho do Sargento Francisco Xavier dos Passos e de Clara Maria de Oliveira; 1.1 – João Luís de Melo, casado … Continue...
Andrade

Andrade

ANDRADE   TRONCO I   I – Emígdio Xavier de Andrade, morador de Mogi-Mirim, de Campinas e da “vila de São Joaquim”, foi casado com Teresa Maria de Jesus. Emígdio Xavier de Andrade, depois de viúvo de Teresa Maria de Jesus, sepultada em Campinas, casou no Amparo em 1855 com Rosa Maria de Sousa, natural de Limeira, filha de Luís  Antônio de Sousa e de Maria de Moraes (CA-3:51v) Emídio Xavier de Andrade e sua mulher Rosa Maria de Sousa venderam a João Alves de Campos em 17/2/1857 terras “no bairro do Cercado”, divisando com Joaquim Mariano Pedroso, Miguel Barbosa e outros (1ºof.5:124). Em 1860 Emídio já era falecido, pois Francisco Pires de Godoy, de  Bragança, filho de Faustino Godoy, casou no Amparo  em 1860 com Rosa Maria de Sousa, viúva de Emílio Xavier de Andrade (CA-5:8v). Emídio e Teresa … Continue...
Alves Pimentel

Alves Pimentel

ALVES PIMENTEL   Francisco Alves Pimentel, advogado no Amparo, foi pai de: 1 – Benedita Pimentel de Camargo, falecida em 1916, esposa de Agenor de Camargo; 2 – Osório Pimentel; 3 – Paulo Pimentel; 4 – Celso Pimente;l 5 – Sebastiana P. da Cunha Bueno, esposa de Henrique da Cunha Bueno, fazendeiro na Ilha Grande.
Almeida Machado

Almeida Machado

ALMEIDA MACHADO   Francisco de Almeida Machado, filho de Antônio Machado Cardoso  e de Catarina Corrêa de Almeida, casado em 1788 na Conceição dos Guarulhos com Custódia Bueno da Silva, também conhecida por Custódia Maria da Silva, filha de Francisco Bueno de Azevedo e de Rosa Maria (SL, 1:399 e 5:337).  Esse casal Francisco e Custódia foi morador em Amparo onde possuia um sítio com a extensão de 450 alqueires, ou seja, uma grande propriedade, que divisava, entre outros, com o capitão Francisco Mariano Galvão Bueno e com o rio Camanducaia. O casal teve outros filhos moradores em Amparo, entre os quais Bento Antônio de Almeida, falecido antes de 1855. A lista de herdeiros e condôminos nessa propriedade, entretanto, não permite distinguir entre filhos e netos. Serão necessárias outras informações para fazê-lo (RPT, 167) Custódia ainda era viva em 1856. … Continue...
Alves Dias de Godoy

Alves Dias de Godoy

ALVES DIAS DE GODOY   TRONCO I   I-         Policarpo Alves Dias de Godoy foi casado com Angélica Maria de Jesus. Esta, depois de viúva de Policarpo, casou no Amparo em 1859 com Joaquim Pires Barbosa, filho de Camilo Pires Barbosa e de Inês Cardoso, já falecida (CA-3:92). Policarpo Alves Dias de Godoy e Angélica Maria de Jesus tiveram: 1 – Felisbina Maria de Jesus, amparense, que casou no Amparo em 1870 com Pedro José de Moraes, de Santa Branca, filho de Manuel José de Moraes e de Maria Teodora de Almeida.  (CA-6:12)   TRONCO II   II –       Gabriel Alves Dias de Godoy e Antônia Cardoso, provavelmente parentes próximos do tronco anterior, tiveram: 1 – Paulo, batizado no Amparo em 1852, sendo padrinhos Manuel Martins Baião e sua mulher Maria Franco de Oliveira (BA-5:80).