Branco

Branco

BRANCO   TRONCO   Esta família, originária do Paraná, tem uma breve e pouco conhecida passagem por Amparo no final do século XIX, durante a qual, em 1886, Gertrudes Branco, natural do Paraná, filha dos finados Joaquim Mateus Branco e Silva e Maria das Dores Branco, casou aqui com Antônio Palmieri, natural da Itália, filho de Rafael Palmieri e de Luísa Capelli Palmieri, sendo testemunhas Pedro José Pastana e Inácio Teixeira. Ao que tudo indica, a noiva viera para cá em companhia da irmã Messia Branco Teixeira, casada com o coronel Inácio Teixeira. Ao pesquisar a descendência de Rafael Palmieri, um dos pioneiros da hotelaria em Amparo, encontramos minuciosa informação sobre a família de sua nora Gertrudes Branco, da qual alguns membros residiram no Amparo. Um Dias Branco discursou na Câmara de Amparo em memorável sessão sobre a questão Christie, … Continue...
Bueno de Oliveira

Bueno de Oliveira

BUENO DE OLIVEIRA   TRONCO I   I – Bibiano Domingues de Oliveira, casado em primeiras núpcias com Maria Gertrudes de Oliveira (SL, 8:292, 7-8), oriundos de Bragança, e em segundas núpcias com Rosa Pires do Prado, viúva de Antônio Lourenço do Prado. Bibiano e suas esposas foram moradores do Amparo e de Atibaia. Bibiano e Maria Gertrudes tiveram: 1 – José Bueno de Oliveira, casado no Amparo em 1824 com sua parente Delfina Maria de Jesus, de Bragança, filha de Manuel Bueno de Oliveira e de Josefa de Oliveira. Foram pais de: 1.1 – José, batizado no Amparo em 1835. 1.2 – Luís Bueno de Oliveira, batizado no Amparo em 1839, casou em 1863 com sua parente Ana Bueno do Amaral, filha de Francisco Bueno do Amaral e de Manuela Alves de Oliveira;. 1.3 – João Bueno de Oliveira, … Continue...